quarta-feira, 12 de maio de 2010

Interacção Família - Escola

Actualmente muitos são os comentários, artigos e "vozes" que questionam a Escola, as suas políticas, as suas práticas e que pretendem discutir o "caminho" a seguir...

Cada vez ouço mais pessoas a falarem em famílias desestruturadas e que essas famílias são a causa do insucesso dos alunos...Pergunto-me...

Será que alguém já tentou "chamar" essas famílias até à Escola? 

Será que alguém já tentou compreender o  motivo para a Família estar desestruturada?

Essas famílias, a que muitos chamam desestruturadas, por vezes atravessam momentos de "luto", situações tremendas que necessitam de todo o apoio para poderem superar essas situações...principalmente da entidade Escola...

A interacção com as famílias é importante, com as famílias que atravessam estas situações, estes obstáculos é fundamental.

As famílias necessitam dessa interacção para ultrapassar essa dificuldade, ambas as entidades (Escola e Família) precisam dessa interacção para que as crianças adquiram um desenvolvimento sustentado e estável.

Mais uma vez alerto para a importância do Diálogo entre a Família e a Escola, só assim podemos "ver" as capacidades e necessidades individuais de cada criança e assim desenvolvê-las adequadamente.

Enquanto professores devemos reformular práticas: sentir as necessidades da Família, perceber e ser sensível às informações que recebemos e passamos...

Devemos centrar os nossos esforços na criança enquanto uma pessoa cheia de potencialidades/capacidades que esperam ser desenvolvidas.

Estruturar a Escola passa, obrigatoriamente, por Dialogar e reflectir em parceria com a Família.

Ambas as entidades (Família e Escola) têm de deixar as suas práticas e discursos egocêntricos. A cooperação tem de ser estabelecida com respeito "olhando" para a "missão" comum: a criança e o seu desenvolvimento.

9 comentários:

  1. O quanto concordo contigo!! Ter capacidade de escuta activa e perceber o stress acrescido destas familias...Sair de um pedestal que nos julgam concedido para poder fazer inferências sobre o funcionamneto familiar!! Quem me dera por vezes ter a força destas "familias destruturadas". São elas que nos ensinam a importância de um dia de cada vez!!
    Quando te dedicas à escrita e à reflexão sobre estas questões da educação revejo-me nas tuas palavras e só desejo que o faças mais vezes...E que a causa seja inspiradora! Sempre há momentos que valem a pena... Não desistas nunca, pois quero acreditar que não é a idade mas a nossa convicção de acreditar no que fazemos que nos leva a resistir!!

    ResponderEliminar
  2. É bom saber que não estou "sozinho"...às vezes parece que falo outra língua...que vivo noutro planeta...

    E como tu sabes, colocam em causa muito do que digo e faço pela minha idade...Felizmente tenho pessoas que acreditam e valorizam o meu trabalho...Pessoas como tu!!!que me tem ensinado muito, mas mesmo muito...

    O que mais me reconforta no "meio" de tudo...são as crianças...o trabalho com elas :) e com as suas famílias...

    Não desistirei ;)

    ResponderEliminar
  3. Nelson
    Continua a acreditar....pois é fundamental a aproximação da escola à família - os benefícios do envolvimento parental na escola são muito evidentes nas investigações deste âmbito.
    Nós os professores ainda temos muitos receios da participação dos pais, ainda questionamos a legitimidade da sua participação nos processos deliberativos. Tenho investido em projectos de envolvimento parental na escola e educação parental e observo que continuamos num patamar de desconfiança em relação aos pais e por outro lado, os pais assumem uma posição de passividade. Tenho-me questionado sobre esta passividade...parece-me existir uma multiplicidade de factores, mas a atitude dos professores influencia em muito....

    ResponderEliminar
  4. Obrigado Isabel...

    Certamente não desistirei...Esperam-me muitos anos pela frente, muitas crianças para trabalhar, muitos sonhos por realizar...

    Quanto ao teu comentário Isabel, eu diria mais...a atitude dos professores é a principal "culpada"...não é a única, mas a principal...

    Nós enquanto profissionais não somos donos da razão...somos humanos, temos as nossas falhas...como em qualquer profissão precisamos de parcerias, de trabalhar em cooperação e o que se tem visto é cada um a olhar para o seu umbigo...

    Não há partilha entre colegas, não há cooperação com as famílias...Felizmente há excepções e como continuo a dizer: Juntos vamos vencer!!!

    ResponderEliminar
  5. Nelson:
    Bem, a primeira frase paga direitos de autor...Mas felizmente de facto não estamos sozinhos...somos mais. A Isabel é um exemplo disso!! O que eu aprendi com ela!!!
    Não quero ser lamechas, mas tenho tido sorte em encontrar colegas como vocês que fazem a diferença e que acreditam nela!!!
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Bem é preciso ter muita convicção, persistência para remar contra a maré....
    felizmente que aparecem pessoas como vocês.
    Bjs Isabel

    ResponderEliminar
  7. somos nós que estamos mais atentos ou mm a viver noutro planeta???

    ResponderEliminar